FICHAS DE ESTUDO

Olá amores, hoje trouxe algumas dicas que acho bastante interessante e pertinente para as pessoas que estão se organizando para estudar, seja para concursos ou vestibulares.

Existem várias técnicas de estudo, e aos poucos iremos perceber com a qual nos identificamos mais e de qual modo conseguimos assimilar melhor os conteúdos estudados. Eu particularmente, sou adepta ao visual, tenho mais facilidade ao ver, escrever, interagir com o objeto de estudo, preciso ter esse contato material. Já outras pessoas preferem escutar, gravar áudios e ouvir, assistem vídeos aulas e isso se torna o suficiente, enfim, cada um procura aquilo que se sente mais confortável na hora do aprendizado.

Umas das formas mais interessantes para àqueles que assim como eu prefere o contato visual é fazendo FICHAS DE RESUMO. Através das fichas podemos sintetizar o que aprendemos montando os resumos e/ou mapas mentais, além de deixar os conteúdos organizados. Para montar seu esquema de estudo através das fichas eu organizei 5 passos essenciais, que são eles:

1- TÍTULOS E SUBTÍTULOS

Essa parte é a principal. Para que comecemos um resumo precisamos do tema geral, da disciplina ou conteúdo do qual iremos estudar, esse será seu título, e quanto ao subtítulo, será feito a partir do desmembramento do conteúdo, como por exemplo:

TÍTULO:  MODOS VERBAIS.

SUBTÍTULO: INDICATIVO, SUBJUNTIVO E IMPERATIVO.

O ideal é que você siga o mesmo modelo de resumo em suas fichas, e se o conteúdo não couber em uma única ficha você pode continuar em outras, enumerando-as ou por uma ordem lógica que você escolha.

Só não esqueça que a organização é primordial para estudar, e isso lhe ajuda de uma forma muito significativa.

2- SINTETIZE A PRINCIPAL IDEIA

É a partir da ideia central que os resumos serão elaborados. Podendo ser ressaltados:  datas, nome de pessoas envolvidas que merece destaque, causas, consequências, entre outros destaques. Isso  vai variar de acordo com o conteúdo, então podemos fazer diferentes associações.

3- FAÇA GRÁFICOS , TABELAS OU DESENHOS

 

mapas-Mentais-Fichas

Ao desenhar, como na imagem acima, estamos ativando nossa memória fotográfica, logo será muito mais fácil recordarmos do conteúdo.

Quanto mais associações fizermos com o material estudado, mais fácil ele se fixará em nossa memória. E falando nisso, o próximo passo será voltado para nossa memória também.

4- USE E ABUSE DAS CORES

3f169f3744c1cfc49e909e0c4afd1321

Pois é pessoal, destacar as partes que você considera interessante, como: fazer a pontuação de detalhes importantes, destacar palavras interessantes, organizar as cores conforme o nível de dificuldade dos subtítulos é uma ótima estratégia, inclusive na hora da revisão.

Além disso, a variedade de cores em si, deixa seu resumo muito mais chamativo e dinâmico.

5- COLOQUE “OBSERVAÇÕES” QUANDO NECESSÁRIO

Ao fazer os resumos, além de fixar as ideias principais, destaque algumas observações.

Por exemplo:

“O realismo e o Naturalismo no Brasil surgiu na 2ª metade do século XX.

OBS: Nessa mesma época a burguesia foi consolidada com suas bases ideológicas do liberalismo político e liberalismo econômico.”

Então, ressaltar fatos importantes que ocorreram na mesma época aprimora ainda mais a associação com o conteúdo estudado, nos dando até algumas respostas para nossas dúvidas e organizando nossa linha de raciocínio.

Espero que tenham gostado das dicas. Se sim, ponham em prática. Os resultados serão maravilhosos!

Beijos pessoal, até o próximo post!

Anúncios

ERROS COMUNS NA LEITURA

EXTRAPOLAÇÃO OU AMPLIAÇÃO

Se você diz

Ser romântico é bom, mas não precisa ser tão exagerado como o Cazuza nessa música. (rs)

Se você diz: “E por você eu abdicaria de algumas coisas“…

E depois do casamento seu esposo(a) diz: “Mas você me disse que por mim, largaria TUDO“.

Bem, ele(a) aumentou sua fala no sentido literal, não é verdade? Abdicar de ALGUMAS COISAS, não é LARGAR TUDO. Afinal, nem todo mundo tem a coragem de Cazuza, concorda? Brincadeiras a parte,  essa garfie de acrescentar o que não estava no texto é muito cometida, temos que ser fiel ao que o autor disse. O que está inserido no texto é a opinião do autor ou os fatos ali relatados, nossos “achismos” ou “deveria ser assim” deixamos apenas nos pensamentos, ok?

Sendo assim, na leitura você não pode se precipitar e dizer o que não continha no texto, acrescendo informações que não condizem com o mesmo. Quando isso ocorre denominamos de EXTRAPOLAÇÃO ou AMPLIAÇÃO.

Dica: Fiquem espertos para que isso não ocorra no dia-a-dia também. Já brincaram de telefone sem fio? Pois então, uma informação pode chegar totalmente distorcida ao passar por três ou quatro pessoas, e na maioria das vezes não é só por uma má interpretação, mas pelo hábito de aumentar o que se foi dito. Esse tipo de equívoco é muito perigoso, principalmente, quando estamos interpretando um texto.

REDUÇÃO OU LIMITAÇÃO

 

limitação

Além de amar a mensagem que a imagem traz, vai servir de análise para o nosso próximo erro de leitura: a REDUÇÃO ou LIMITAÇÃO, a partir da palavra “muitos” contida na oração.

Na frase da imagem acima diz: “As necessidades de MUITOS sobrepõem-se às necessidades de poucos… Ou a de um só.”

E se você entendesse e dissesse que: “As necessidades de ALGUNS sobrepõem-se às necessidades de poucos… Ou a e um só.” Teria o mesmo valor da primeira frase destacada?

Então pessoal, enquanto que na EXPLORAÇÃO nós temos um excesso de informações equivocadas obtida pelo leitor, na REDUÇÃO veremos o oposto, ou seja, irá existir a supressão, um corte da informação, pela troca de palavras, geralmente são as chamadas ANTÔNIMAS ou SINÔNIMAS, como no exemplo acima que foi trocada a palava  MUITOS por ALGUNS.

O valor semântico das palavras são diferentes, mudando assim o significado da frase, no segundo exemplo a frase ficou até sem coerência, até porque não tem como sobrepor alguns por poucos, as palavras se equivalem, não faz sentido.

Ocultar informação, eliminando-a na hora da interpretação pode prejudicar significativamente seu entendimento do texto. E se você estiver fazendo uma avaliação? As chances de assinalar a alternativa errada pela omissão de uma palavra determinante no texto só aumenta. E o nosso objetivo aqui é acertar, por isso fiquem bem atentos!

Enfim amores, breve abordarei mais sobre esse tema.

Infelizmente existem mais erros cometidos nas leituras que não serão mais comuns após adquirirmos esse conhecimento.

Beijos e até o próximo post!

3 dicas para você que sente dificuldade em interpretar textos

Olá, meus amores!

Hoje irei interagir com vocês e passar algumas dicas super legais de como interpretar um texto, mesmo com palavras que estejam fora do seu vocabulário, àquelas que pouco usamos ou nunca usamos no nosso cotidiano.INTERP.jpg

Bom, parece meio clichê, mas é essencial que tenhamos a prática de leitura presente em nossas vidas. Daí vocês me perguntam… “Mas quando estamos nas redes sociais não estamos lendo?” Sim, claro! Mas essa leitura não é o suficiente, temos que ter organização de ideias, uma retórica e estilística dentro dos conformes, com textos dissertativos – textos de cunho mais extenso – como por exemplo: jornais, revistas, livros, entre outros. Vamos lá:

DICA 1: Atente-se para a definição das palavras. Geralmente, quando existe uma palavra desconhecida no texto, o autor a define ou usa sinônimos, justamente com essa intenção de facilitar a interpretação do leitor. Numa definição geralmente aparecem os verbos “ser”, “chamar-se”, “denominar-se”.

Ex: “As pessoas de Sagitário são idealistas e aventureiras. Para elas, viver é uma imensa e excitante viagem de aventuras.”

Isso serve também para quem escreve, sempre é bom escrever pensando em nosso público alvo, ou na facilidade com que esse público irá ter na leitura, a não ser que seja de cunho artístico. Na escola literária chamada Parnasianismo que iremos ter essa ilustração da riqueza de palavras, estilística e retórica impecáveis, a arte pela arte. E mesmo nesse momento, os autores dessa escola literária tinham seu público alvo, a alta burguesia, a classe que tinha acesso à uma boa educação. Mas se quisermos globalizar nossa leitura, iremos usar de recursos estilísticos dentro do nosso cotidiano, certo?!

DICA 2: Os exemplos que estão dentro do texto. No discorrer dos textos, aparecem vários exemplos, sejam eles para comprovar o que foi dito, ou para assimilar do que se trata em questão. Precisamos destacar cada exemplo e captar o máximo possível com o seu significado.

Ex: Antigos anfiteatros , como o Coliseu dos romanos, ainda hoje atraem turistas.

Se você não sabe como é um anfiteatro ou como é sua estrutura, ao ler “Coliseu dos romanos” já terá uma ideia do que é, do seu formato oval, com fileiras que se assemelham com um estádio de futebol, para que a apresentação fosse alcançada por todos. Olha só, dentro da minha explicação eu já dei outra exemplificação. Aos poucos iremos associando os exemplos encontrados nos textos e nossa ideia irá ficar clara.

DICA 3: O uso do conectivo e seu sentido. Exatamente, meu povo! Para que o texto esteja perfeitamente coerente, é preciso se esbanjar dos conectivos, das CONJUNÇÕES. Elas podem tanto ser subordinativas, como coordenativas (falando nelas, quem tiver dúvidas sobre conjunções, pode deixar um comentário abaixo que irei dá umas dicas e até mesmo fazer alguns exercícios contextualizados). Em um texto, as conjunções podem servir como pista para a descoberta do significado das palavras e como “qual foi” a intenção do autor diante do texto.

Ex: Embora o peixe estivesse nauseante, a carne parecia apetitosa.

Vejamos que o uso dos adjetivos “nauseante” e “apetitosa” se contrapõem diante do contexto, pelo uso da conjunção subordinada CONCESSIVA “embora”, usada no texto. Essa conjunção admite uma contradição ou um fato inesperado. Levando em conta a definição da conjunção, chegaremos a conclusão que nauseante é algo ruim, oposto a apetitosa, mesmo não sabendo seu significado literal, que é, quando se tem vontade de vomitar, asqueroso, repelente.

Então amores, por hoje é só, senão o conteúdo ficará muito extenso, em breve estarei trazendo mais dicas para um boa interpretação.

Espero ter ajudado vocês com as dicas de hoje. E deixem nos comentários sugestões, ideias, conteúdos, ficarei super agradecida!

Beijos e boa leitura!  Continuar lendo